Marque sua consulta
Atendimento 24 horas

Procure no site

A Clínica

A clínica CEO realiza uma média de 3.000 cirurgias ortopédicas e traumatologicas a cada ano. Possui especialistas renomados em todas as áreas da ortopedia. Está vinculada ao Instituto da Mão. Realiza seus procedimentos cirúrgicos no Complexo Hospitalar Santa Casa, Hospital Moinhos de Vento, Hospital Mãe de Deus e Hospital Divina Providência.

 
Seus amigos merecem mais carinho! PDF Imprimir E-mail

Com o avanço da idade e a falta de cuidados, essas complexas estruturas  ficam mais suscetível a lesões, entorses ou alterações degenerativas (desgastes). Se você começar já a cuidar dessa parte do corpo, poderá protegê-la evitando seqüelas de maus tratos causadas pelas atividades cada vez mais agressivas do nosso dia-dia.

Tendo função importantíssima na locomoção coube a eles uma função estratégica nos deslocamentos. Foi-se o dia em que pensava-se em joelho somente como estruturas responsáveis por manter o ser humano em pé. Hoje são consideradas complexas estruturas arquitetônicas em que cada componente exerce sua função específica. Nessa missão multifuncional, uma tarefa extra: absorver boa parte do impacto oferecido pelo contato dos pés com o solo. Através dessas orientações pretendemos que possamos passar uma noção melhor do desenvolvimento e hábitos sadios para que sejam evitadas lesões a nossas principais articulações: OS JOELHOS.

Bons hábitos que você precisa ter

Um joelho saudável faz toda a diferença na hora de se divertir de forma ativa, seja em uma caminhada, durante uma dança ou na prática de um esporte radical. Por isso, é fundamental cuidar muito bem do seu. Aí vão algumas orientações importantes dos especialistas ouvidos nesta matéria.

1. Fazer exercícios regularmente. Foi-se o tempo em que uma pessoa com qualquer tipo de lesão era impedida de frequentar academias e outros espaços destinados à prática de esportes. Hoje, sabe-se que a atividade física é fundamental para a prevenção de inúmeras doenças e mesmo para a reabilitação de lesões, inclusive do joelho.

Toda articulação imóvel evolui com rigidez. Como consequência, a locomoção fica prejudicada. O segredo é contar com a orientação de um especialista na hora de montar o treino. Atividades de alto impacto, como a corrida, podem ser contra-indicadas às pessoas que já sofreram traumas mais sérios nas articulações. Os esportes na água, por outro lado, são uma excelente pedida nesses casos. O fortalecimento muscular — proporcionado por atividades como a musculação e a ginástica localizada — e as atividades de alongamento também colaboram para prevenir lesões.

2. Respeitar seus limites. Se estiver sem condicionamento, comece com um treino leve e aumente gradualmente a intensidade e o tempo de duração. “É cada vez mais comum atendermos em consultório pessoas que começam a fazer uma atividade sem estarem devidamente preparadas. Isso provoca uma sobrecarga nas articulações”, explica Ricardo Cury. Durante o exercício, pare ao sentir qualquer incômodo ou mal-estar. “A dor é sempre um alerta, indica que algo está errado e que é hora de procurar um médico. O pior que se pode fazer é ignorá-la”, defende Oliveira.

3. Acertar na escolha do calçado para o dia-a-dia. “Os melhores são os que possuem solado macio, capaz de absorver parte do impacto, e um salto pequeno. Os calçados muito baixos ou, ao contrário, com saltos altos, podem comprometer a estabilidade da articulação”, alerta Sérgio Mainine. Para a prática de atividades físicas, é necessário contar com um calçado especial, capaz de atender às exigências específicas de cada esporte.

4. Manter o peso ideal. A sobrecarga ocasionada pelos quilinhos a mais castiga as articulações, especialmente o joelho. “A artrose, por exemplo, é três vezes mais comum em obesos”, alerta Oliveira.

Estrutura complexa

Ninguém precisa ser especialista para saber que a função principal do joelho é auxiliar na locomoção, ajudando-nos nas atividades corriqueiras. Sem eles totalmente sadios é que nos damos conta da falta eu eles fazem. O que pouca gente conhece são os elementos que compõem essa articulação, a maior do nosso corpo. Estamos falando de ossos, músculos, cartilagem, ligamentos e tendões. Cada estrutura tem sua função específica não podendo ser substituída normalmente pelas demais. É uma articulação do ponto de vista óssea muito instável. Necessitamos da saúde dos ligamentos para torná-las estáveis. Como toda junta, necessitamos de amortecedores e lubrificante. Esses papeis são realizados pelos meniscos e líquido sinovial.

Não bastasse essa complexidade anatômica, o joelho tende a apresentar mais problemas com a passagem do tempo (alterações degenerativas). O envelhecimento enfraquece os ossos, cartilagem e o líquido sinovial, que lubrifica a articulação, diminuindo sua viscosidade. Ligamentos e tendões ficam menos elásticos e mais suscetíveis a rompimentos (lesões).

Nossos maus hábitos aceleram o processo de degeneração da articulação, e o que seria apenas um desconforto pode evoluir para uma lesão mais séria. Por toda essa complexidas de estruturas, articulações consideradas normais esporadicamente incomodam através da dor, seja por sobrecarga ou por pequenas e irrelevantes alterações passageiras.

Soluções Possíveis

Embora as lesões que atingem os joelhos sejam variadas e frequentes , a boa notícia é que a maioria delas pode ser tratadas com sucesso. Os índices de cura giram em torno de 90%.

Os avanços tecnológicos na área de  diagnóstico permite que exames complementares, como a ressonância magnética, sejam capazes auxiliar no processo diagnóstico, apontando com precisão o tipo de lesão que causa dor, inchaço ou dificuldade de locomoção. A partir desse retrato do problema, parte-se para a adoção da terapêutica mais adequada, dentro de um leque de possibilidades que vai desde a reabilitação por meio de exercícios até cirurgias delicadas e pouco invasivas.

Exercícios para reabilitação com o acompanhamento de um educador físico, no ambiente da academia, ou do fisioterapeuta, numa clínica especializada, continuam sendo indicados, em praticamente todos os casos de torções, estiramentos e inflamações. O objetivo principal é fortalecer e reequilibrar a musculatura, os ligamentos e os tendões que estabilizam a articulação, mantendo-a alinhada.

Quando optar pela cirurgia

Evidentemente toda lesão pode progredir se não tratada de forma ágil e correta. As dificuldades no diagnóstico estão se tornando cada vez menores. Hoje em dia há um conhecimento adequado espalhado por todos os cantos do mundo. Casos que antigamente passavam despercebidos, atualmente são encaminhados precocemente para o tratamento ideal. Esse fato faz-nos ver cada vez menos seqüelas de lesões que poderiam ter sido evitadas com um diagnóstico e terapêutica correta.

A cirurgia do joelho é atualmente uma especialidade médica. Todos profissionais realizam especialização em Ortopedia e sub-especialização em cirurgia do joelho. Portanto, o conhecimento específico aumenta progressivamente. Diz-se que quanto maior a especialização profissional maior a chance de melhores resultados.

O tratamento conservador das lesões ortopédicas é sempre a opção inicial. Protocolos tem-se tornado rotina nessas lesões. Utilizam-se inicialmente métodos analgésicos e repouso das atividades.

Cada estrutura tem o seu tratamento diferenciado conforme a lesão e os sintomas causados pela lesão.

Exemplos de tratamentos propostos:

MENISCO-  lesões meniscais em paciente ativos são cada vez mais e melhores tratadas por métodos cirúrgicos. A artroscopia ( cirurgia por vídeo ) resolve quase que 100% dos casos. Não estamos afirmando que seu joelho ficará 100% normal. Isso não de pende de seu médico e sim da lesão que sua articulação apresenta. O sintoma principal dessa lesão é a dor e derrame articular de repetição. Após longas tentativas conservadoras opta-se pela cirurgia. Em atletas e pessoas que necessitem profissionalmente de suas articulações a opção cirúrgica pode ser abreviada. Pensa-se que essas são lesões de esportistas. Cerca de 50% dos casos de lesões meniscais encaminhadas para tratamento cirúrgico são pacientes acima dos 40 anos de idade.

LIGAMENTO - são lesões causadas por eventos traumáticos. Os principais sintoma são os falseios, principalmente em atividades rotacionais. O tratamento para pacientes sintomáticos é cirúrgicos. Pacientes sedentários e acima dos 50 anos de idade pode optar pelo tratamento conservador através da reabilitação. A cirurgia é baseada na substituição do ligamento lesado. O período de reabilitação pós operatório é de 6 a 8 meses.

ARTROSE - o desgaste articular é inevitável. Fisiologicamente todos teremos artrose. O que interfere no tipo de tratamento é o grau da artrose e os sintomas causados por ela. Em fases iniciais o tratamento deve ser conservador através de cuidados com peso corporal e evitar de realizar atividades de impacto. Existem várias alternativas medicamentosas passando de condroprotetores (sulfato de glicosamina e condroitina) até viscosuplementação (ácido hialurônico).  As alternativas cirúrgicas estão baseadas na causa da artrose. Pode ser realizado o realinhamento o membro inferior (osteotomia) e ou substituição articular (artroplastias).
 

Rua Leopoldo Bier, 825 - Sala 301 - Santana - Porto Alegre/RS - Fones (51) 3023 6600 - 3217 2390
By IdeiaClic